DC Filmes 

Justice League – Ator de ‘Cyborg’ acusa Joss Whedon de falta de profissionalismo nas refilmagens do filme de 2017

De acordo com o Variety, o ator Ray Fisher pronunciou-se sobre a falta de profissionalismo do realizador Joss Whedon durante as refilmagens de Justice League.

De acordo com Fisher, que encarnou o herói Cyborg no filme de 2017, “a forma que Joss Whedon tratou o elenco e equipa técnica no set de filmagens de «Liga da Justiça» foi bruta, abusiva, pouco profissional e completamente inaceitável. O comportamento dele foi permitido, de muitas maneiras, pelos [produtores] Geoff Johns e Jon Berg.”, escreveu o ator no seu Twitter.

Vale lembrar que, em meados de 2017, o realizador original Zack Snyder teve de deixar a produção da longa-metragem devido ao trágico suicídio da sua filha. O que fez a Warner Bros. contratar um substituto (Joss Whedon) para realizar filmagens adicionais e completar o filme.

O site afirma que tanto Whedon como o estúdio foram contactados, mas nenhum quis comentar as afirmações feitas por Fisher.

Depois de anos de campanhas e apelos, foi anunciado em Maio passado que a versão original de Justice League, visionada pelo realizador Zack Snyder, será lançada em 2021 no serviço HBO Max.

Intitulada de Zack Snyder’s Justice League, a produção estreará sob a forma de uma longa-metragem de 4 horas ou então uma série dividida em seis episódios.

Visto que algumas cenas não tiveram os efeitos acabados, a plataforma de streaming irá gastar à volta de 20-30 milhões de dólares para terminar a produção. Equipas de edição, efeitos e o compositor original (Junkie XL, que foi substituído na versão de 2017 por Danny Elfman) irão regressar para terminar, assim como também é previsto que o elenco volte para gravar diálogos adicionais.

A grande controvérsia à volta da longa-metragem começou com a estreia desta nos cinemas em Novembro de 2017. Foi apresentada uma versão muito diferente, e pouco completa (bigode de Henry Cavill), daquela originalmente gravada e visionada por Zack Snyder. Com isto, desde técnicos de produção ao ator Ciarán Hinds, que interpretou o vilão Steppenwolf, a postura da Warner Bros. foi muito criticada em relação aos cortes excessivos no filme – ler mais.

O assunto começou a ser muito comentado principalmente após a criação do movimento #ReleaseTheSnyderCut que, através de petições (e campanhas para angariar fundos para organizações sem fins lucrativos e caridades), apelava que fosse lançada a versão de Snyder, na qual este filmou antes da sua saída como realizador devido a uma tragédia familiar.

Em Março do ano passado, o próprio Snyder já havia revelado que o seu corte do filme de facto existia, e que inclusive deveria ter à volta de 3 horas e meia de duração. Adicionando ainda que só faltavam alguns retoques na parte de edição, até ao estúdio ter contratado Joss Whedon e ter pedido a este para lançar uma produção de apenas 2 horas.

Já no final de 2019, o cineasta recebeu o apoio oficial de atores como Gal Gadot e Ben Affleck, e confirmou a verdadeira existência do seu corte com uma foto de cápsulas do filme – ler mais.

Podes ver a versão lançada nos cinemas, clicando em Liga da Justiça.

Related posts

Leave a Comment